Veja como funciona a depreciação de veículos usados

Depreciação de veículos é o motivo daquela surpresa chata quando você vai vender seu carro na loja: “ele vale só isso?”. Só. A gente também acha esse preço um absurdo. Porém, os carros perdem mesmo valor a cada ano. E isso é inclusive determinado por dois tipos de lei: a do Congresso e a do mercado.

Mas vejamos: depreciação de veículos é via de duas mãos. É ruim quando você vai vender seu carro, mas é excelente quando você vai comprar. Então, tire suas dúvidas agora de como calcular a perda de valor do carro. Assim, quando for vender, não vai ser enganado. Quando for comprar, vai oferecer o preço justo.

E se houver mais alguma questão que você queira levantar sobre depreciação de veículos, faça isso na área de Comentários. A gente vai dar a resposta rapidinho.

Antes de falarmos de cálculos, que tal sabermos…

…O que é depreciação de veículos?

Bem, o termo, por si – depreciação (português brasileiro) ou desvalorização (português europeu) se refere à obsolescência de todo bem transformada em valor. Isso significa que diversos fatores, em especial o desgaste natural, fazem o valor de seu bem cair. Qualquer bem. Inclusive seu carro.

Mas a boa notícia é que, como a gente falou acima, o carro que você pretende comprar também entra nessa regra.

Saiba como calcular a depreciação de veículos

Agora, sim, podemos falar sobre cálculo.

Falamos acima que a depreciação tem fundamento em Lei. A regra legal serve para que o sistema de fiscalização de impostos tenha base para tomar determinadas decisões que regulam a contabilidade das empresas.

Essa Lei pode ser aplicada a carros de propriedade de pessoa física. Assim, como alertamos também acima, você terá segurança no momento de negociar um veículo, seja em compra ou em venda.

Desta maneira, por essa regra, deve-se abater 20% do valor original (0km) a cada ano; ela diz também que todo veículo tem vida útil de 05 anos, o que não representa a realidade brasileira. Há estudos que comprovam vida útil média de quase o dobro disso. Portanto, a Lei é falha.

Tá… ok… mas nem tanto.

De acordo com a regra, seu veículo estaria valendo apenas 20% com 05 anos de uso. Ou seja: se você tem um carro ano 2013 e ele valia 20.000 reais naquele ano, hoje (2018) estaria valendo 4.000 reais. Um absurdo, claro.

A fórmula de cálculo da depreciação em 01 ano é a seguinte: valor no ano atual subtraído do valor no ano anterior dividido pelo ano anterior multiplicado por 100. Esses valores você pode consultar na Tabela Fipe (nós falamos sobre essa tabela).

Por exemplo (fica mais fácil, não é?!):

  • Valor atual: 13.000R$
  • Valor ano anterior: 15.300R$
  • Então: 15.300 – 13.000 = 2.300
  • Logo: (2.300 : 15.300) * 100 = 15,03%

Seu veículo se depreciou em 15,03% em um ano.

Assustou-se? Calma… é só exemplo. Os percentuais de depreciação são menores. Leia o capítulo abaixo para se acalmar.

Dá pra diminuir o valor da depreciação de veículos?

Dá, sim. A desvalorização de bens não se dá apenas por força da Lei. Há outros fatores diversos que a produzem. Há elementos diretos e indiretos que diminuem o valor do veículo.

Diretos: Amassamento na lataria, barulhos de causa não encontrada, pintura em mau estado, revisão não providenciada e também documentação irregular. O fator direto que mais influencia é a quilometragem de rodagem (quanto mais o motor trabalhou, mais o veículo perdeu valor)

Indiretos: Fama de mecânica complicada, dificuldade de aquisição de peças e acessórios, envolvimento da montadora em escândalos

Então, cuidando do seu carro, você vai conseguir valor maior de mercado quando decidir negociá-lo. Assim, diminui bastante o percentual da depreciação que assustou você no capítulo anterior.

A partir de agora, você já pode ter mais segurança ao vender – nada de perder dinheiro – e ao comprar – nada de ser enganado. E faça uma pergunta pra gente caso ainda tenha dúvidas sobre esse assunto ou qualquer outro referente a veículos.

Sua dúvida por ser de outros visitantes nossos.